O Ceratocone é uma doença ocular que atinge a córnea, modificando sua espessura e curvatura. 

Embora seja rara e de lenta evolução, essa patologia, que está associada a fatores genéticos e hereditários, costuma se desenvolver mais entre os 10 e 25 anos e atinge cerca de 150 mil pessoas no Brasil, podendo, inclusive, acometer mais um olho que o outro. 

Por conta do pouco conhecimento em relação ao Ceratocone, muitas dúvidas são geradas, desde o diagnóstico ao tratamento. 

E uma das questões mais recorrentes é se esse quadro pode ou não levar à cegueira. 

Continue nesse artigo para descobrir um pouco mais sobre esse tema:

CAUSAS

Ainda não se sabe exatamente o que leva uma pessoa a desenvolver essa doença. 

Entretanto, estima-se que as alterações na superfície da córnea são resultado de inúmeros fatores que contribuem para a perda de elementos estruturais dessa membrana. 

Eles vão desde à diminuição no aporte de colágeno até o ato de esfregar ou coçar os olhos com frequência. 

Por isso, pacientes alérgicos, que sentem muita coceira nos olhos, têm mais riscos de desenvolver ceratocone. 

Também estão incluídos no grupo de risco para desenvolver a ceratocone os portadores da síndrome de Down ou com alterações oculares congênitas, como a catarata e a esclerótica azul (branco do olho), por exemplo.

Sintomas
Algumas pessoas com histórico da doença na família podem apresentar um quadro de ceratocone subclínico, ou seja, sem sintomas. Em geral, o aparecimento deles varia de acordo com a fase da doença.

  Os sintomas incluem: 

  • Perda progressiva da visão, que se torna borrada e distorcida (tanto para longe quanto para perto); 
  • Sensibilidade à luz (fotofobia); 
  • Comprometimento da visão noturna; 
  • Visão dupla (diplopia); 
  • Formação de múltiplas imagens de um mesmo objeto (poliopia) ou de halos ao redor das fontes de luz são outros sintomas da doença; 

Complicações no estágio mais avançado da doença costumam ser: 

  • Recuo da pálpebra inferior provocado pelo crescimento do cone, quando a pessoa olha para baixo (sinal de Munson); 
  • Perda aguda da visão causada pelo escape do humor aquoso que flui para dentro da córnea (hidropsia);

    Ceratocone pode levar à cegueira?

    Como a doença não afeta o nervo óptico, é difícil dizer que o ceratocone pode causar cegueira. Porém, sem tratamento ele pode progredir e deixar a visão extremamente prejudicada, a ponto de dificultar atividades diárias. 

    Entretanto, o ceratocone é administrável e tem muitos tratamentos. 

    Com acompanhamento, é possível retardar muito a progressão da doença e impedir a perda de visão. 

    Tratamento

A tratativa da doença vai depender da avaliação de um profissional qualificado. Por isso, é importante que na presença de sintomas ou que pessoas com histórico da doença na família, consultem um oftalmologista.

 O tratamento também é específico para cada estágio da doença, sendo: 

  • O uso de óculos para recuperar a acuidade visual; 
  • Lentes de contato, que ajudam a ajustar a superfície anterior da córnea e a corrigir o astigmatismo irregular provocado pela deformidade; 
  • Crosslinking;  
  • Anéis intracorneais ou intraestromais; 
  • Transplante de córnea; 

A clínica de olhos e microcirurgia Dr. Ricardo Martin está pronta para te receber e fazer com que você volte a ver a vida de maneira plena e satisfatória. Agende uma consulta! 


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

WhatsApp chat