“Sem óculos de sol, mesmo nos dias nublados, não consigo sair de casa.”

A queixa descrita acima é muito comum em pessoas que sofrem com a fotofobia.

Fotofobia ou sensibilidade à luz é uma condição em que a pessoa não consegue olhar diretamente para luz ou ficar em ambientes claros. A retina é formada por células fotossensíveis. Se existe algum problema, os olhos passam a recusar o excesso de informação no caso, luz , gerando o desconforto.

É um sintoma comum que está associado a várias condições diferentes. Os casos leves podem fazer a pessoa olhar para baixo ou cerrar os olhos em uma sala bem iluminada. Em casos mais graves, essa condição provoca dor considerável quando os olhos estão expostos a quase qualquer tipo de luz.

Fotofobia não é uma doença, mas sim um sintoma de diversas outras condições. A sensibilidade à luz pode ser um sintoma de doenças que não afetam diretamente os olhos, tais como aquelas causadas por vírus ou então enxaqueca.  A fotofobia dificilmente ocorre num olho normal. O que não quer dizer que não aconteça. Há casos em que olhos saudáveis apresentam dificuldade em lidar com a claridade.

Pessoas com olhos de cor clara podem experimentar fotofobia com mais frequência, uma vez que os pigmentos dos olhos ajudam a proteger da luz forte. Dessa forma, quanto menos pigmento têm os olhos, maiores as chances de agressão e sensibilidade.

Apenas após o exame oftalmológico é possível definir a alternativa terapêutica para quem reclama da claridade excessiva. O uso de óculos escuros em ambientes externos é a estratégia mais adotada por quem sofre desse mal.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

WhatsApp chat